Arquivo da tag: meio-ambiente

Mais uma denúncia do Pq Cocaia

Moradores pagam esgoto, mas ele continua sendo jogado na Represa

O mesmo governo que faz o Rodoanel destruindo uma imensa extensão de áreas preservadas, com enorme impacto ambiental, sempre se coloca como um defensor do meio-ambiente quando se trata de despejar comunidades pobres das áreas de mananciais.

Acontece que no Pq Cocaia, assim como em vários outros bairros da nossa região, faz tempo que milhares de moradores pagam água e esgoto, mas o esgoto de suas casas continua sendo jogado na Represa Billings. Ou seja, a Prefeitura e os governos enganam os moradores, não fazem o que têm que fazer, e depois culpam esses moradores pela destruição ambiental. O vídeo-denúncia a seguir mostra um pouquinho dessa história. Outras denúncias semelhantes serão feitas nos próximos tempos.

 

 

Anúncios

A luta da COOPERPAC

Depois de muita luta, a COOPERPAC está a todo vapor

O vídeo abaixo retrata um pouco da caminhada de companheiras e companheiros em sua batalha para criar uma nova Cooperativa de Catadores, a COOPERPAC, localizada no Jd. Lucélia, Grajaú. Com iniciativas como essa, muitas questões importantes são colocadas, como a forma de se organizar e produzir sem patrão e sem diferença de rendimentos, ou sobre a questão do meio ambiente como uma trincheira da luta da população da periferia, que muitas vezes é discriminada e apontada como culpada pela poluição das represas e dos córregos. O discurso da defesa do meio ambiente tem sido inclusive usado contra as comunidades da periferia, para realizar despejos violentos.

Ninguém tem mais interesse em preservar o ambiente do que as próprias comunidades, mas os “governantes” não garantem nem mesmo um sistema de coleta de lixo e de saneamento adequados. Por outro lado, enquanto os governantes e os meios de comunicação mentem dizendo que o povo da periferia é o responsável pelos problemas ambientais, ninguém fala dos verdadeiros culpados: as grandes empresas que sugam todos os recursos naturais e produzem montanhas de lixo; o consumismo doentio e sem limites das elites, que só pensam em ostentar; as grandes obras mal-feitas, como o Rodoanel, que acabam com quilômetros de vegetação nativa, sujam a represa, etc. Ou seja, os pobres não são os grandes poluidores das represas, dos córregos, e do ar, mas sim os endinheirados, que colocam os lucros acima de tudo.

Ao contrário desse discurso mentiroso, portanto, sabemos que existe todo um sistema de produção e de consumo em que só vale a ostentação e o lucro, e que são terrivelmente destrutivos. É esse sistema que precisamos combater, e é assim que nosso caminho se cruza com o caminho das Cooperativas de Catadores.

Vida longa à COOPERPAC!

Despejos em vista

Estado planeja intensificar despejos

Nos próximos tempos, a tragédia dos despejos, que temos sentido na pele cotidianamente,  deve se intensificar. Como de costume, o discurso ambiental será usado como arma para oprimir a população das periferias, em favor do capital imobiliário e dos interesses das elites.

Veja a seguir matéria publicada originalmente no Jornal Brasil Atual:

“50 mil famílias serão removidas de suas casas até 2015 devido a projetos executados pelo poder público em São Paulo. Diferentes das tradicionais remoções em áreas de interesse das elites, agora passam a ser comuns despejos nas periferias urbanas, em nome da questão ambiental.”

Poluição! A culpa é de quem?

Construtora joga um caminhão de entulhos em córrego no Campo Limpo

Uma das desculpas mais usadas pelos governantes para despejar as pessoas pobres de suas casas é a de que estamos poluindo o meio-ambiente.Como se não fosse responsabilidade deles e direito nosso ter saneamento básico, água encanada e esgoto tratado. Como se não quiséssemos viver com mais dignidade e ver nossas crianças brincando em um lugar seguro.


Assim fica a pergunta: quem é realmente o responsável pela situação de degradação ambiental? A prefeitura e o governo estadual ao não fazerem as obras em benefício da população pobre que vive há anos próximas a córregos ou a mananciais? Das empresas e indústrias ? Das pessoas comuns, trabalhadores e trabalhadoras, que lutam diariamente para colocar comida na mesa?


Pois bem! Uma recente reportagem ajuda a responder essa pergunta. A construtora Era Técnica, com contratos com a prefeitura no valor de R$
67 milhões de reais!! foi flagrada jogando um caminhão lotado de entulhos num córrego no Campo Limpo, zona sul da cidade.

Um caminhão de lixo de uma empresa milionária sendo jogado no córrego, e depois ainda vão dizer que os culpados são as pessoas que têm sua casa alagada pela enchente do córrego poluído pela construtora e outras empresas e pela falta de assistência dos governantes.

Veja aqui a reportagem que saiu na Folha de São Paulo:
http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/778603-construtora-lacrada-em-sp-recebeu-r-67-milhoes-da-prefeitura.shtml