Protesto na EMEF João da Silva

Truculência contra os Manifestantes

O protesto em frente à EMEF João da Silva acabou há algumas horas. Indignados contra a situação da escola, muitos alunos e alunas se juntaram à manifestação puxada por membros da comunidade do Jd. Lucélia, manifestação que denunciou os problemas da escola e as medidas autoritárias de sua direção. Foram feitos vários relatos sobre a precariedade da infraestrutura, sobre a falta de materiais pedagógicos, sobre maus-tratos contra alunos(as) e contra pais e mães, e por aí vai.

Apesar de ter sido uma manifestação pacífica e totalmente legítima, ao invés de diálogo, a Diretoria chamou a polícia. Rapidamente chegaram várias viaturas da Guarda Civil Metropolitana (GCM), da Polícia Militar (PM), e principalmente da Guarda Ambiental (!!!!), vestidos com seu uniforme parecido com o do Exército. Houve diversas tentativas de intimidação, os próprios membros da Guarda Ambiental falaram para os estudantes que eles eram massa de manobra, que a manifestação era coisa política-partidária, e que os manifestantes estava cometendo um crime pois não haviam pedido autorização à Subprefeitura para a realização do protesto!

Evidentemente, essa tentativa de desqualificar a luta e amedrontar os manifestantes não deu certo, pois não se trata de político ou de partido A ou B, mas de problemas reais e muito graves. Mas fica aí a pergunta: desde quando é preciso pedir autorização para se exercer um direito, como o direito de manifestação? E desde quando uma manifestação pacífica é caso de polícia, e mais ainda, da Guarda Ambiental?

Com isso se revela a verdadeira faceta da direção da escola, e do próprio Estado, que considera a organização popular um caso de polícia.

Para piorar, e apesar de diversas tentativas de convencê-los do contrário, a Diretoria da EMEF João da Silva, junto com a Guarda Ambiental não deixaram os estudantes entrarem na escola ao final do protesto, que acabou às 8h da manhã. Um absurdo e uma irresponsabilidade, mas diante disso resolvemos fazer uma caminhada pelo bairro, no meio da qual os alunos e alunas voltaram para suas casas.

A luta está apenas começando!

Anúncios

3 Respostas para “Protesto na EMEF João da Silva

  1. PERIFERIA LUTA!

  2. Andreza Marques.

    Palhacada, alunos incentivados por professores e maridos de professores, quanta hipocrisia, Agora fica aqui a pergunta por que vocês professoras nao mostram a cara?????

    • Palhaçada, Andreza, é querer desqualificar uma manifestação legítima, contra uma situação grave de uma escola na qual professores(as), funcionários(as) e alunos(as) são perseguidos(as), uma escola em que o ensino é péssimo, em que a infraestrutura é precária, em que a direção é ao mesmo tempo autoritária e ausente, e assim por diante. Na medida em que o diretor usa a polícia para receber manifestantes, e que considera a escola um patrimônio seu, mandando e desmandando como bem entende, é evidente que professores(as) e funcionários(as) tenham que se preservar, para evitar novas represálias. Hipocrisia é negar essa situação de opressão.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s